A menina que matava caracóis

Filosofias úteis, inúteis e outras coisas que você pode não precisar.

Ilustríssimas

 

Eu: Lá, vamo experimentar o bolo?

Lá: Vamo.

*as duas pega um pedaço de bolo cada uma*

Lá: HUEAHUAE. Bolo barata! Sabe por quê?

Eu: Porquê?

Lá: Crocante por fora e molinho por dentro. G_G

*as duas comem*

Lá: Eca, Letícia! Parece chiclete!

Eu: Aaah… Pelo menos ele tá bonitinho…

Lá: Bonitinho?! HÁ! Eu vou rir na sua cara!

O bolo ficou ótimo uma porcaria. U_U

Ok, mas mudemos de assunto. Estou na Bárbara, queridos leitores! E é claro que haveria uma participação de minha ilustríssima (estou com uma mania de falar essa palavra) melhor amiga! O que, obviamente, será escrito aqui depois que ela sair do banho. U_U (sim, eu roubei o computador dela por alguns minutos) Pra falar a verdade, eu não sei exatamente o que ela está fazendo lá no banheiro – porque o chuveiro já desligou há um tempinho e ela não saiu. ‘-‘ Não pensem besteira. Ok, podem pensar. (como se eu mandasse muito em vocês. -.-º)

E que tal aproveitar esse tempo para discorrer sobre coisas inúteis? (tepo esgotado, ela saiu do banheiro… mas a gente enrola ela). Ok, estávamos eu e Bá aqui no quarto, falando sobre pessoas e eu – em minha ilustríssima tpm – reclamando sobre tudo e todos. Acontece, meus amigos, que não sou uma pessoa tão delicada quanto sou no blog. Sendo bem sincera, eu falo muito palavrão e venho até tentado parar com isso. Só dou uma moderada no blog porque são textos que eu prefiro que sejam bonitinhos. 😀 Voltando ao assunto, eu estava a reclamar de Deus e o mundo e fui dizer “você pode dar o cú por ela que ela não muda!” – com essas exatas palavras. Porém, contudo, todavia, a casa da Bárbara é LARGA e ALTA, o que causa muito ECO. E eu, na minha essência italiana, falo be alto, sabe? Pois é, eu gritei “dar o cú!” e a mãe da Bá entrou no quarto. Foi maravilhoso. *-*

Outra coisa que acaba de acontecer é: a droga da tecla m da Bárbara não pega. Sim, meus amigos, eu copiei e colei todos os m’s deste texto. Aliás, não consegui usar um m maiúsculo porque o maiúsculo que eu consegui copiar ficava desproporcional ao taanho do texto do blog. Comentando isso com o Flá, ele me manda um m do tamanho do mundo (ou, segundo a Bárbara, de um e-lefante). Considerando que Bárbara tenha visto o “m-lefante”, pude ouvir o costumeiro comentário desnecessário, triste e engraçado (ou quase) de dita cuja:

Bá: Ooolha! É um emão! HUEAHUEHUEA. É o marido da ema, só que grandão!

Não me perguntem porque insisti e passar a noite aqui. G_G (a verdade é que eu amo essa menina)

Agora, o primeiro acontecimento do gênero que houve hoje foi: eu e Bá tomando café da tarde. Eu contando sobre vídeos que eu vi que retratavam jogos de improvisação. O problema era: o tema do jogo então sendo comentado era papel higiênico e, consequentemente, cocô. Fezes. Excretos sólidos. E comecei a falar extremamente empolgada, até que me lembrei que tinha cocô no meio. E a Bárbara comendo.

Eu: Aí, Bá, aconteceu não sei o que e *susto* … *pausa dramática*  *falando séria* Posso falar de merda?

 Bá: HUEAHUAEHUAHUAE.

Eu: Ah, eu posso, né? Você não liga. U_U

É verdade. Ela não liga, fae sobre cocô, urina, vômito, qualquer coisa enquanto ela está comendo e está tudo bem. B)

Okay, Bárbara escreverá agora.

 

ESPAÇO PARA A BÁ ENCHER LINGUIÇA E O SACO DE TODOS OS LEITORES ESCREVER

Oi gente, beleza? É a Baah, a mesma da entrevista, vocês já devem saber. Quem quiser da uma olhadinha, que é bem legal, modéstia à parte, hehehe 😉

Então gente, o que tenho a dizer hoje é que estou muuuito feliz. Se vocês olharem o meu blog, quase sempre verão essa frase estampada no início dos posts. Não, não sou feliz sempre, não. É que – sabe-se lá por que – a maioria dos dias que posto no blog estou feliz por algum motivo.

Pois bem, hoje eu to por que comecei a ler um livro incrível (Conversando com Deus, acreditem: super divertido e irreverente! 😀 recomendo), porque caí no meio do meu treino de marcha (pra quem não sabe, eu tive paralisia cerebral, ando ainda com apois e tou treinando pra tirar), entortei a bengala sei lá como, quase morri engasgada com o todynho pq a Le me fez rir, e tenho que aguentar essa pessoinha aqui até amanhã de manhã… Ô vida duuura!

hahhahaahaha

 

aa gente, eu queria escrever bem mais, mas me perdoem, tou cansada e acho que o post já deve tar grande demaaais.

Beijos,

Baah*

ACABOU O ESPAÇO PARA A BÁ BLÁ BLÁ BLÁ ESCREVER

Pois, bem. Agora, nos vamos. Temos ilustríssmas tarefas importantes a fazer (leia-se comer bolachas de banana com canela, perder tempo com qualquer outra coisa e dormir). U_U

Beijinhos,

Letii (e Bá)

Navegação de Post Único

4 opiniões sobre “Ilustríssimas

  1. Olá
    Sigo configurando a vida de todos que por mim me devora…. esses seus palavrões são uma influência minha…. Meu… não negue… seja pouca ou grande… mas é! MMMMMMMMMMMMMMMMMMMM morra de inveja!

    • hueauaeuhaeuae.
      pra falar a verdade, a principal influência foi da minha irmã.
      mas, pode ser que você também tenha certa participação neste processo. 😉

  2. eheheheh adorei isso! deu vontade de ta aí e rir junto. rsrrs
    abraço com carinh

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: