A menina que matava caracóis

Filosofias úteis, inúteis e outras coisas que você pode não precisar.

Anti-contos-de-fadas

meu fracasso

E enquanto a minha mãe falava comigo, eu chorava de soluçar. Porque parecia que aquilo me entristecia mais que a qualquer pessoa. Eu já havia tentado aquilo há tempos. Tentado ser uma melhor ouvinte e ter mais amigos. Eu achava que tinha conseguido ao menos uma parte disso. Mas, como ela não tocou mais no assunto, pensei que não havia problema em não ter alcançado meu objetivo. Acontece que ela tocou nesse assunto, hoje. E eu senti que havia fracassado. É disso que eu tenho medo. Do fracasso. Mas eu tenho muito medo, e quando eu digo muito, é muito mesmo. Principalmente por causa do meu outro medo: o de me arrepender.

Fiquei muito triste, isso realmente me pegou de jeito. Depois da conversa, fui chorar no banheiro porque não conseguia parar. Lembrei-me dos três piores meses da minha de meros quinze anos. Singelos. Três meses mergulhados em uma panela de depressão fervente. Eu havia fracassado. Nos três meses, eu não contei àquele garoto que gostava dele – apesar de repetir milhares de vezes que o faria. E ele passou a namorar outra menina, e eu fiquei em casa, presa à minha cama, fracassada. Hoje, isso não me parece muito grande, mas eu me senti muito mal naquela época. Tentei me alegrar com algumas frases e me lembrando de momentos felizes, mas não funcionou.

Eu, decididamente, tenho amigos. Mas ela quer amigos que estejam mais perto de mim. Não de outrras cidades ou escolas. E eu não quero. Porque eu gosto dos que tenho.

Eu chorava e imaginava o rímel correndo líquido pelas maçãs do rosto. Sentia o guardanapo desfazer-se em minhas mãos, molhado pelas lágrimas. Podia perceber o batom sumir nas faces de meus lábios e minhas mãos enfraquecerem ao exugar aquela tristeza. Não foi uma cena muito legal, definitivamente.

Se vocês esperavam um final feliz, sinto em dizer-lhes que, se há de haver algum, ainda não chegou. Mas não percam a esperança, isso já me ajudou muito. Mas, por enquanto, é isso. Só isso. Não insistam.

Navegação de Post Único

2 opiniões sobre “Anti-contos-de-fadas

  1. Eu espero que isso seja fictício !

    Mesmo que nós ñ tenhamos nos visto ainda, mesmo eu não te dando nunca um abraço, mesmo palavras, tempo e kms limitando minha amizade, me impedindo de te ver tds os dias.. e até mesmo falar com vc tds os dias, vc é importante pra mim e sabe q é.

    E me deixa triste pensar q nos seus momentos de tristeza eu ñ posso estar do lado ouvindo seus problemas.

    Mas enfim.. vc é uma ótima pessoa, e com td ctz sabe ouvir sim… e se isso serve pra alguma coisa, importante ñ é ter infinitos amigos, mas amigos infinitos… um só q se importe com vc! (sim, eu sou um desses um só, vc qrendo ou não U_U)

    ñ chorei e nem to triste (meu ironismo me convence)
    *caso seja fictício não desconsidere essa mensagem*

    • óun. eu [quase] chorei. :’)
      aah, não é fictício, não, Jinx.
      quem dera ser…

      óóuunn! *0*

      tudo o que você escreveu [2]

      (meu comment ficaria MUITO gigante. >.<'')

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: