A menina que matava caracóis

Filosofias úteis, inúteis e outras coisas que você pode não precisar.

Azul

el-alegre-rostro-de-la-pobreza

Parou na porta do açougue, com seu poodle na coleira. Estava esperando sua irmã comprar as coisas para sua mãe. Percebeu, então, uma presença com um tom chamativo. Era uma senhora vestida em roupas meio esfarrapadas e de cabelos brancos, carregando umas duas sacolas plásticas, que postava-se à outra ponta da porta. Era baixa e de pele enrugada. Mas uma coisa, e somente uma, chamou a  atenção da garota: os olhos azuis. Aliás, muito azuis. Eram profundos… Esqueceu-se da irmã e do cachorro, ficou tentando decifrar o mistério dos olhos da senhora. Ela parecia preocupada, triste. Parecia procurar alguma coisa. Um pouco de comida? Um amor perdido, talvez? Ficou lá. Quando a senhora olhava também em seus olhos, a menina desviava o olhar, mas só às vezes – pois, cada vez que aquela senhora a olhasse daquele modo era uma chance para descobrir o porquê daquele azul. A garota podia jurar que aqueles dois lagos buscavam algo. Algo que ela já havia perdido há tempos. Um marido, um filho, um irmão. Pode ser que ela só quisesse comida, mesmo; mas não era algo em que a garota acreditava. Várias vezes em que os dois pares de olhos se encontravam, formando uma linha reta de mistério e penetração de uma ponta à outra da porta, a garota achava que a mulher a pediria alguma coisa – dinheiro, quem sabe – e ela teria de recusar, principalmente porque a única coisa que tinha naquela hora era o poodle preto na coleira. A irmã voltou e elas tiveram de ir embora. A menina tornou a cabeça para trás algumas vezes, achando que descobriria o sentido da profundidade do olhar nos últimos segundos. Mas, nada aconteceu. Pode ser que ela ainda o descubra. Talvez, isso sirva para algo em sua vida. Quiçá ela encontre aquele olhar novamente. Mas, de uma coisa há certeza: eu nunca vou esquecer aquele dia.

Navegação de Post Único

2 opiniões sobre “Azul

  1. giovannamelanie em disse:

    me lembrou meu avô. Os olhos eram tão intensos quanto da senhora do post..

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: